segunda, 14 junho 2021
Imagem topo

Associação de Ciclismo do Minho abrangida pelo Mecenato Desportivo

Publicado sexta, 04 junho 2021 08:00

O Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, reconheceu o interesse desportivo das atividades da Associação de Ciclismo do Minho (ACM), passando a associação a estar abrangida pelo Estatuto do Mecenato, um conjunto de incentivos fiscais que visam [...]


O Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo, reconheceu o interesse desportivo das atividades da Associação de Ciclismo do Minho (ACM), passando a associação a estar abrangida pelo Estatuto do Mecenato, um conjunto de incentivos fiscais que visam estimular as empresas e os particulares a efetuarem donativos a favor de entidades privadas e públicas em benefício do desporto.

O interesse desportivo das atividades da Associação de Ciclismo do Minho foi reconhecido através da publicação de despacho de 4 de junho de 2021 subscrito pelo Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

O Estatuto dos Benefícios Fiscais relativos ao Mecenato Desportivo configura um conjunto de incentivos fiscais, concedidos pelo Estado, para incentivar as empresas e os particulares a efetuarem donativos (monetários ou em espécie) a favor de entidades privadas, e também públicas, em benefício do desporto.

As empresas e os particulares que concedem um donativo, beneficiam de uma majoração que é adicionada ao valor desse donativo, o qual é abatido à sua matéria coletável, conduzindo à redução do imposto a pagar ao Estado. O imposto em causa é, no que concerne às empresas, o IRC (Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Coletivas) e, no que concerne aos indivíduos particulares, o IRS (Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares). Os donativos constituem entregas em dinheiro ou em espécie concedidos sem contrapartidas.

Instituição de Utilidade Pública e representante da Federação Portuguesa de Ciclismo (entidade detentora do Estatuto de Utilidade Pública Desportiva) nos distritos de Braga e Viana do Castelo, a Associação de Ciclismo do Minho (www.acm.pt) foi fundada em 1977 e é uma associação sem fins lucrativos que tem como objeto a promoção e regulamentação do ciclismo, nas suas diversas vertentes, agrupando utilizadores de bicicleta, praticantes de ciclismo (competição e lazer) e clubes.

Com sede em Guimarães, a ACM é a maior e mais representativa associação regional de ciclismo do País, tanto em número de praticantes, como de clubes e atividades, contribuído para motivar, especialmente as camadas mais jovens da população, para uma manifestação desportiva e de mobilidade tão saudável e tão confraternizante como é o ciclismo.

Além da organização de eventos desportivos e da promoção da utilização da bicicleta como opção de prática desportiva (lazer e competição) e de mobilidade sustentável, a Associação de Ciclismo tem assumido uma postura bastante interventiva em diversos domínios, contribuindo para a reflexão sobre o desporto e o ciclismo, perspetivando o futuro da modalidade e contribuindo para a (re)definição de estratégias de desenvolvimento do ciclismo. A Federação Portuguesa de Ciclismo homenageou recentemente a Associação de Ciclismo do Minho pelos relevantes serviços prestados à modalidade, em especial na resolução do problema do policiamento das provas de ciclismo.

Com a maior representação na Assembleia-Geral da Federação Portuguesa de Ciclismo, a Associação de Ciclismo do Minho já foi distinguida com a medalha de ouro da UVP/Federação Portuguesa de Ciclismo, Medalha de Mérito Desportivo da Câmara Municipal de Guimarães e o Troféu O Minhoto (categorias "Evento Desportivo" e "Dirigente Desportivo").

Época desportiva de 2021

Adaptado e condicionado à nova realidade, a Associação de Ciclismo do Minho planeou para 2021 um calendário desportivo com mais de duas centenas de atividades das várias vertentes do ciclismo. Os calendários estão, contudo, dependentes da evolução da situação epidemiológica e as atividades serão realizadas no cumprimento das orientações da Direção-Geral da Saúde e das normas concertadas entre aquela entidade e a Federação Portuguesa de Ciclismo.

A época de ciclismo no Minho arrancou em abril com o 7.º BTT XCO de Melgaço, prova que este ano mereceu distinções internacionais, sendo de categoria Internacional C2, pontuável para a Taça de Portugal e Campeonato do Minho de BTT XCO - POPP Design. Seguiu-se o Prémio Cidade de Fafe, primeira prova do Campeonato do Minho de Estrada – Arrecadações da Quintã para o escalão de Juniores, que no início de maio também serviu de teste à organização e capacidade de ultrapassar as barreiras impostas pelo Covid-19.

Depois do 3.º Grande Prémio de Ciclismo do Alto Minho, Prémio Freguesia de Golães – Troféu José Martins e do 18.º Circuito de Palmeira – Prémio Peixoto Alves, o calendário prevê para o dia 12 de junho o Encontro de Escolas de Ciclismo - Guimarães Cidade de Desporto, Encontro Inter-Regional de Escolas de Ciclismo. O 3.º Prémio de Ciclismo HM Motor, prova que este ano se destina às categorias de Cadetes e Juniores, está marcado para o dia 13 de junho, em Barcelos.

Julho é o mês da realização do 32º Grande Prémio do Minho, que este ano está previsto decorrer entre os dias 23 e 25. Antes daquela que é considera uma das maiores provas do calendário velocipédico para o escalão de juniores, a ACM organiza o Prémio de Ciclismo Festas do Concelho de Fafe no dia 10, também destinado à categoria de juniores.

Para agosto está marcado para o dia 15 o 45.º Circuito de Santa Marta de Portuzelo, uma das antigas provas destinada a todas as categorias de Formação (Escolas, Cadetes e Juniores), e para setembro o tradicional Prémio “Fafe - Sala de Visitas do Minho” (dia 4) para os escalões de escolas e cadetes.

Ainda com datas por confirmar estão o Prémio de Ciclismo de Barroselas (juniores), o 35º Prémio Cidade de Barcelos (escolas, cadetes e juniores) e o 18.º Prémio ACR Roriz (escolas, cadetes e juniores.

O Campeonato do Minho de BTT XCO – POPP Agency conta até ao final da época com mais duas provas. No dia 16 de maio as atenções estiveram viradas para Souto Santa Maria, Guimarães, com a realização do 8.º BTT XCO Centro de Ciclismo do Minho. Para junho está marcado o 22º BTT XCO ACRAP, prova que decorre em Arcos de Valdevez, seguindo-se o 4º BTT XCO Tesouros do Ave (12 de setembro) que será realizado em Porto de Ave (Póvoa de Lanhoso).

O Campeonato do Minho BTT DHI – CISION arrancou no dia 23 de maio com o 11.º BTT DHI da Penha, prosseguindo com o 3º BTT DHI Capital do Móvel - Paços de Ferreira (27 de junho) e o 21º BTT DHI - ACRAP / Arcos de Valdevez (19 de setembro).

O Campeonato do Minho de BTT XCM – Discover Melgaço tem, por enquanto, prevista apenas uma prova, embora o calendário possa vir a ser complementado. Para já está prevista a realização da 5ª Maratona BTT Vila de Melgaço, prova que também integra o calendário da Taça de Portugal de XCM.

O Minho acolherá ainda o Campeonato Nacional de Enduro, cuja realização está prevista para os dias 2 e 3 de outubro (Terras de Bouro).

A Gala de encerramento da época desportiva está agendada para o dia 20 de novembro.

Os calendários de todas as vertentes poderão sofrer alterações até porque estão condicionados à evolução da situação epidemiológica. Por outro lado, as atividades serão realizadas no cumprimento das orientações da Direção-Geral da Saúde e das normas concertadas entre aquela entidade e a Federação Portuguesa de Ciclismo.

logo branco

Quinzenário do concelho de Vila Nova de Cerveira. Medalha de mérito concelhio.

Estatuto Editorial do Cerveira Nova

geral@cerveiranova.pt
Telefone: +351 251 794 762

cerveirafm

Subscreva a nossa newsletter e receba as nossas novidades em primeira mão.